PCP contra redução do défice em 2022

Comunistas dizem que ainda não têm nenhuma decisão tomada sobre o orçamento.

Foto
João Oliveira, líder parlamentar do PCP LUSA/NUNO VEIGA

O PCP e o Governo vão continuar a negociar o Orçamento do Estado para 2021 nos próximos dias, mas o líder parlamentar comunista João Oliveira deixa, desde já, um aviso: “A intenção do Governo de reduzir o défice para 2022 não nos parece que seja coincidente com a resposta que o país precisa”. 

O deputado não quis comentar os números do défice que a RTP avança e que mostram que em 2021 este ainda estará acima de 3% do PIB, numa altura em que Bruxelas relaxou as metas europeias, mas mostrou a sua preocupação já com as intenções para o ano seguinte. “O critério deve ser o oposto a esse” que terá consequências para o país. 

Tal como o BE, o PCP saiu da reunião com o Governo, esta segunda-feira de manhã, a dizer que este encontro não serve para avançar nas negociações e com João Oliveira a explicar que depois de ouvir as linhas gerais fez um sublinhado às medidas que o PCP já apresentou e que passam pelo aumento da resposta social e pela valorização dos trabalhadores, entre outras.

No dia 12 [data da entrega do OE pelo Governo] faremos uma verificação segura” do que estará no documento. “Temos o nosso trabalho feito”, disse, acrescentando que “prognósticos só no final do jogo”.

“Não temos nenhuma decisão tomada à partida”, rematou.

O Governo está a apresentar esta terça-feira as linhas gerais do Orçamento do Estado aos partidos da oposição. De manhã, os encontros agendados são com o PSD, BE, PCP, CDS, PAN, Verdes. À tarde estão presentes Chega, IL e as deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues. 

O OE 2021 vai ser votado na generalidade no dia 28 de Outubro, com a votação final global prevista para 27 de Novembro.