Novo livro de Cavaco revela bastidores de decisões, referências políticas e episódios pessoais

Obra de 200 páginas é apresentada por Luís Marques Mendes. Numa prosa mais pacífica do que o habitual, Cavaco Silva recorda grandes obras, sempre com apontamentos pessoais.

Foto
Cavaco Silva acaba de lançar um novo livro Nuno Ferreira Santos

Vinte e cinco anos depois de deixar o Governo (que liderou durante uma década), Aníbal Cavaco Silva escreveu mais um livro de memórias que vai ser apresentado nesta terça-feira por um dos membros da equipa cavaquista original: Luís Marques Mendes. É uma obra mais pacífica, que não faz ajustes de contas nem revelações bombásticas, mas que contextualiza algumas das decisões mais relevantes e polémicas que o antigo primeiro-ministro teve de tomar. As grandes obras são quase todas referidas e ajudam a organizar os capítulos: o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e Serralves, no Porto; troços das auto-estradas para o Algarve, para o Porto e para Cascais; a Ponte Vasco da Gama; a Via do Infante; e a Expo-98, entre outras.

Sugerir correcção