Governo vê PIB a crescer perto de 5,5% em 2021

Economia recupera, desemprego melhora, mas ainda se mantém acima de 8%, e défice supera os 3% do PIB. São previsões do Governo partilhadas com os partidos.

Foto
Números estão a ser apresentados pelo Governo aos partidos rui gaudêncio

O Governo prevê que a economia cresça perto de 5,5% em 2021, com o Orçamento do Estado a apontar para um investimento público a subir na casa dos 20% em relação a este ano. Estes são alguns dos elementos que o executivo tem partilhado com os partidos ao longo da manhã de reuniões, das quais saíram duas ideias principais: ainda não há acordo à esquerda e a direita critica a aposta no sector público em detrimento do privado.

Segundo as informações recolhidas pelo PÚBLICO, o Governo prevê que o PIB deverá subir 5,4% ou 5,5% no próximo ano depois de registar uma quebra a rondar os 8% este ano, um desempenho que terá consequências no mercado de trabalho. Para este ano, o Executivo espera uma taxa de desemprego de 8,7%, devendo abrandar ligeiramente para 8,2% no próximo ano. 

O Governo tem estado esta segunda-feira de manhã a apresentar as linhas gerais do Orçamento que chegará ao Parlamento a 12 de Outubro. À direita as críticas são iguais: o Orçamento beneficia o sector público e esquece o privado. E a previsão para a evolução do investimento público parece ser o indicador que sustenta esta ideia. No Orçamento, o Governo prepara-se para inscrever um aumento do investimento público igual a 20% este ano, a que se seguirá uma nova subida de 20% em 2021. 

As despesas com pessoal em 2021 deverão subir 3% no próximo ano em resultado do aumento do número de funcionários públicos e das progressões na carreira, apurou o PÚBLICO.

Com as receitas fiscais a caírem 10% este ano e a subirem 7% no próximo, o Governo aponta para um défice a variar entre 7% e 7,5% do PIB este ano e de 4% em 2021. A dívida pública deverá ficar nos 134% do PIB este ano e 130% no próximo ano. Os partidos têm mostrado pouca preocupação com a derrapagem no défice face à meta europeia do 3% do PIB – que está suspensa em 2021 , mas o PCP está preocupado com a intenção do executivo de “reduzir o défice em 2022”.