Nobel da Física de 2020 para trabalhos sobre os exóticos buracos negros

Distinguidos três cientistas pelas descobertas sobre a física de objectos supermaciços, um destes monstros encontra-se alojado no coração da nossa galáxia, a Via Láctea. Entre os laureados está a quarta mulher a receber um Nobel da Física em toda a história deste prémio.

via-lactea,buracos-negros,nobel-fisica,ciencia,fisica,astrofisica,
Fotogaleria
Prémio Nobel da Física de 2020 foi atribuído aos cientistas Reinhard Genzel, Andrea Ghez e Roger Penrose DR
via-lactea,buracos-negros,nobel-fisica,ciencia,fisica,astrofisica,
Fotogaleria
DR

O Prémio Nobel da Física de 2020 foi para Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez​ pelos seus trabalhos em física dos buracos negros e nos segredos mais obscuros do Universo – anunciou esta terça-feira de manhã a Real Academia Sueca das Ciências em Estocolmo, na Suécia. No anúncio, o comité resumiu que metade do prémio, que tem um valor monetário de dez milhões de coroas suecas (957 mil euros), é para o britânico Roger Penrose pela descoberta de que os buracos negros são uma previsão robusta da teoria da relatividade geral de Albert Einstein e a outra metade para o alemão Reinhard Genzel e a norte-americana Andrea Ghez pela descoberta do objecto compacto supermaciço que está no centro da nossa galáxia. A explicação actual é que esse objecto monstruoso é um buraco negro.