Covid-19: GNR interrompe festa ilegal com cerca de 80 pessoas no Algarve

Durante a operação foram detidos dois homens e uma mulher, entre os 21 e os 32 anos, por tráfico de estupefacientes e apreendidas 179 doses de haxixe, 13 doses de cocaína e sete doses de cannabis.

Foto
daniel rocha

A Guarda Nacional Republicana (GNR) interrompeu, ao início da tarde deste sábado, uma festa ilegal com cerca de 80 pessoas, que decorria junto à barragem do Funcho, na localidade de São Bartolomeu de Messines, concelho de Silves (Algarve).

“No seguimento de denúncia a dar conta de ruído proveniente de uma zona isolada nas proximidades da barragem do Funcho, os militares da Guarda vieram a localizar a origem do ruído, constatando estar perante a realização de uma festa ilegal que contava com a presença de cerca de 80 pessoas, as quais foram abordadas, fiscalizadas e dada a indicação para desmobilizar por incumprimento das medidas em vigor associadas à pandemia de covid-19”, revela a GNR num comunicado enviado às redacções.

Durante a operação, levada a cabo pelo Comando Territorial de Faro, através do Destacamento Territorial de Silves, foram detidos dois homens e uma mulher, “com idades compreendidas entre os 21 e os 32 anos, por tráfico de estupefacientes, tendo ainda sido elaborados seis autos de contra-ordenarão por consumo de estupefacientes, resultando na apreensão de um total de 179 doses de haxixe, 13 doses de cocaína e sete doses de cannabis”.

Os organizadores da festa foram identificados “e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Silves”.

A acção contou com o reforço de militares do Destacamento de Intervenção de Faro e de um binómio de detecção de estupefacientes.