Trump com “sintomas ligeiros” de covid-19 e uma enorme dor de cabeça até às eleições

Teste positivo do Presidente dos EUA afasta-o do terreno durante duas semanas, numa fase crucial da campanha. Diagnóstico chega após meses de desvalorização da pandemia e deixa o país a braços com a possibilidade de uma sucessão inesperada.

O Presidente dos EUA num comício no Minnesota, dois dias antes de ter recebido o teste positivo
Foto
O Presidente dos EUA num comício no Minnesota, dois dias antes de ter recebido o teste positivo Reuters/LEAH MILLIS

O helicóptero da Casa Branca tinha acabado de levantar voo com Donald Trump a bordo, na quinta-feira, quando o chefe de gabinete do Presidente dos EUA recebeu a notícia: Hope Hicks, uma das principais conselheiras de Trump e presença constante ao seu lado em reuniões e viagens, estava infectada com o novo coronavírus. Poucas horas depois, já na madrugada de sexta-feira, Trump escrevia no Twitter que também ele estava infectado – entre os dois momentos, enquanto esperava pelo resultado do seu teste, o Presidente dos EUA viajou até ao estado de Nova Jérsia, onde participou numa acção de recolha de fundos num espaço fechado e perante centenas de apoiantes.