Torne-se perito

Ainda é preciso falar de cinema anti-racista. MICAR volta ao Porto este fim-de-semana

Festival de cinema organizado pela SOS Racismo trará sessões gratuitas e debates ao Teatro Rivoli entre esta sexta-feira e domingo. Programação (que foi pensada em escala pequena para acautelar pandemia) amplifica conversas sobre problemas que parecem particularmente urgentes em 2020, mas que “são já muito antigos”.

<i>Frame</i> do filme <i>What You Gonna Do When the World is on Fire?</i>, filme de Roberto Minervini que será exibido no Rivoli esta sexta-feira (2 de Outubro)
Foto
Frame de What You Gonna Do When the World’s On Fire?, filme de Roberto Minervini que será exibido no Rivoli esta sexta-feira (2 de Outubro) Okta film

O cartaz da sétima edição da Mostra Internacional de Cinema Anti-Racista (MICAR), festival organizado pela organização SOS Racismo que ocupará o auditório Isabel Alves Costa do Teatro Municipal do Porto – Rivoli entre esta sexta-feira e domingo, não podia ser mais conciso (e auto-referencial) na sua mensagem. “Ainda é preciso fazer este cartaz”, conseguimos ler em letras garrafais, a vermelho e preto. De facto, o descontrolado batimento cardíaco de 2020, marcado por episódios de racismo e gritos de justiça social um pouco por todo o mundo, não tentará contrariar esta premissa. “Este ano tem sido de grande visibilidade de problemas que são já muito antigos. É impressionante como é que conseguimos chegar a este nível de suposto desenvolvimento civilizacional e ainda temos de lutar contra forças muito significativas de repressão e obscurantismo”, conta ao PÚBLICO Joana Cabral, activista da SOS Racismo e organizadora da MICAR.