Ainda é preciso falar de cinema anti-racista. MICAR volta ao Porto este fim-de-semana

Festival de cinema organizado pela SOS Racismo trará sessões gratuitas e debates ao Teatro Rivoli entre esta sexta-feira e domingo. Programação (que foi pensada em escala pequena para acautelar pandemia) amplifica conversas sobre problemas que parecem particularmente urgentes em 2020, mas que “são já muito antigos”.

Foto
Frame de What You Gonna Do When the World’s On Fire?, filme de Roberto Minervini que será exibido no Rivoli esta sexta-feira (2 de Outubro) Okta film

O cartaz da sétima edição da Mostra Internacional de Cinema Anti-Racista (MICAR), festival organizado pela organização SOS Racismo que ocupará o auditório Isabel Alves Costa do Teatro Municipal do Porto – Rivoli entre esta sexta-feira e domingo, não podia ser mais conciso (e auto-referencial) na sua mensagem. “Ainda é preciso fazer este cartaz”, conseguimos ler em letras garrafais, a vermelho e preto. De facto, o descontrolado batimento cardíaco de 2020, marcado por episódios de racismo e gritos de justiça social um pouco por todo o mundo, não tentará contrariar esta premissa. “Este ano tem sido de grande visibilidade de problemas que são já muito antigos. É impressionante como é que conseguimos chegar a este nível de suposto desenvolvimento civilizacional e ainda temos de lutar contra forças muito significativas de repressão e obscurantismo”, conta ao PÚBLICO Joana Cabral, activista da SOS Racismo e organizadora da MICAR.