Quatro regressos na selecção para um apertado mês de Outubro

Domingos Duarte, André Gomes e Gonçalo Guedes ficam de fora da convocatória.

,UEFA Euro 2020
Foto
LUSA/MIGUEL A. LOPES

O central Rúben Semedo, o médio William Carvalho e os extremos Rafa e Podence representam as novidades na convocatória da selecção nacional de futebol, com vista ao calendário de Outubro, que prevê um encontro particular e dois relativos à Liga das Nações.

O primeiro embate está agendado para dia 7, no Estádio de Alvalade, frente a Espanha, num jogo que assinala o regresso do público aos estádios portugueses depois da paragem imposta pela pandemia de covid-19. A esta partida de preparação seguem-se duas oficiais: uma viagem até Paris, para defrontar a França, no dia 11, e um confronto com a Suécia, no dia 14, novamente em Alvalade. 

“Desde que se cumpram as regras e se as pessoas se sentirem confortáveis, é bom para o espectáculo, é bom para o público, é bom para os jogadores, portanto estou totalmente de acordo”, comentou Fernando Santos, seleccionador nacional, acerca da presença de espectadores nos jogos com Espanha e Suécia.

Em relação à última convocatória, para os jogos com a Croácia e com a Suécia (dois triunfos), Fernando Santos deixou de fora Domingos Duarte (Granada), André Gomes (Everton), e Gonçalo Guedes (Valência), explicando desta forma a opção: "Estou muito satisfeito com o rendimento dos que agora não vêm, mas entendi que para esta janela devia optar por outros jogadores, mantendo as características essenciais. Temos a nossa forma de jogar, o nosso pensamento, mas para determinado confronto pensamos que um jogador, porque é mais rápido, ou mais vertical, ou mais de posse, pode ser mais útil”.

Destacando que a possibilidade de se fazerem seis substituições nos jogos particulares permite “uma gestão diferente” da equipa, tendo em conta o posterior encontro com a selecção francesa, Fernando Santos deixa claro, ainda assim, que a partida de preparação com Espanha tem peso.

“Não vamos fazer experiências e muito menos relativizar, sobretudo numa partida entre selecções deste gabarito. Se a comparação é um jogo que não vale pontos e outro que vale, sim são jogos diferentes. Mas o jogo com Espanha é muito importante e não podemos relativizar”.

Sugerir correcção