Morreu o emir do Kuwait, aos 91 anos

Sabah Al-Ahmad Al-Sabah deverá ser sucedido pelo meio-irmão, o príncipe herdeiro xeque Nawaf Al-Ahmad Al-Sabah.

mundo,kuwait,medio-oriente,
Foto
Sabah Al-Ahmad Al-Sabah morreu no EUA, para onde se tinha deslocado para tratamento NOUFAL IBRAHIM/EPA

O emir do Kuwait, xeque Sabah Al-Ahmad Al-Sabah, morreu esta terça-feira, aos 91 anos, nos EUA, onde estava desde Julho a receber tratamento médico, anunciou a corte do emirado.

O ministro dos Assuntos da Corte Real, Ali Jarrah al-Sabah, leu um comunicado na televisão estatal, que tinha suspendido a emissão minutos antes para transmitir versos do Corão, anunciando: “É com grande tristeza e dor que choramos […] a morte do xeque Sabah Al-Ahmad Al-Sabah, emir do Kuwait.”

Al-Sabah (1929-2020) subiu ao trono em Janeiro de 2006 depois de ter sido ministro dos Negócios Estrangeiros, e a sua governação ficou marcada pela aproximação ao Iraque, depois da Guerra do Golfo de 1990, e esforços diplomáticos para a resolução de crises regionais, funcionando por vezes como mediador entre o bloco da Arábia Saudita/Emirados Árabes Unidos, por um lado, e o Irão e o Qatar, por outro.

O emir era visto por muitos árabes do Golfo como um habilidoso diplomata e defensor de direitos humanos.

Sabah Al-Ahmad Al-Sabah deverá ser sucedido pelo meio-irmão, o príncipe herdeiro xeque Nawaf Al-Ahmad Al-Sabah, de 83 anos.

Não se espera que a sucessão traga mudanças na política do reino, mas a escolha do novo emir para os cargos de príncipe herdeiro e primeiro-ministro (que ficará encarregado da relação entre o governo nomeado pela família real e o parlamento eleito, que nem sempre é fácil) será vista com atenção, especialmente numa altura em que as finanças do reino estão a ser afectadas pelos baixos preços do petróleo e pela covid-19.​

Sugerir correcção