Covid-19: Número oficial de mortes pode estar a ser subestimado, diz OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que é provável que o número de mortes causadas pela covid-19 já tenha ultrapassado a marca do um milhão.

,Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde
Foto
Reuters/Denis Balibouse

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse esta segunda-feira que é provável que o número de mortes causadas pela covid-19 já tenha ultrapassado a marca do um milhão e que o número total de vítimas mortais esteja a ser subestimado.

“Na verdade, os números agora conhecidos provavelmente representam uma subestimação dos indivíduos que contraíram a covid-19 ou que morreram como causa da doença”, disse Mike Ryan, o principal especialista em emergências da OMS, durante a habitual conferência de imprensa desta segunda-feira. “Quando contamos alguma coisa é impossível contar de forma perfeita. Posso garantir que os números actuais são provavelmente uma subestimação da verdadeira contagem”, disse.

No fim de Junho, o director-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) já tinha afirmado que “o pior ainda estava por vir” em relação à covid-19, apontando a politização da pandemia como um factor de divisão aproveitado por um vírus “rápido e assassino”. No dia em que se assinalam seis meses desde que a OMS recebeu os primeiros relatos sobre casos de pneumonia inexplicados na China, Tedros Ghebreyesus afirmou que, em termos globais, a pandemia estava a acelerar”.

Mais recentemente, a OMS afirmou que não se pode esperar pelo aparecimento de uma vacina para conter a pandemia da covid-19, admitindo que o número de mortos poderá duplicar durante o próximo ano e atingir dois milhões antes mesmo de uma vacina ser amplamente distribuída.

Numa conferência de imprensa a partir da sede daquela agência das Nações Unidas, em Genebra, o director do programa de emergências sanitárias da OMS, Michael Ryan, foi questionado sobre a possibilidade de o número de mortos duplicar no próximo ano e admitiu que “infelizmente, é muito provável”, se não se usarem a ferramentas já conhecidas para conter os contágios.

A pandemia de covid-19 já provocou quase um milhão de mortos (999.202) e mais de 33,2 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins. Em Portugal, morreram 1957 pessoas dos 74.029 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-Geral da Saúde.

Sugerir correcção