Restaurantes pedem às 308 autarquias autorização para esplanadas cobertas no Inverno

Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR enviou os pedidos este domingo. Ao Governo fez um “pedido de reforço da fiscalização aos estabelecimentos de restauração no âmbito da covid-19”.

Foto
PAULO PIMENTA

A Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR enviou este domingo um pedido urgente a todas as câmaras municipais para que autorizem a utilização de “esplanadas cobertas” no sentido de poderem enfrentar as condições climatéricas do Inverno no combate à covid-19.

A PRO.VAR enviou pedidos urgentes às “308 câmaras municipais, para que permitam a utilização de “esplanadas cobertas”, e ao Governo um “pedido de reforço da fiscalização aos estabelecimentos de restauração no âmbito da covid-19”, avançou à Lusa o presidente da associação, Daniel Serra.

“O regresso do Inverno, no contexto da pandemia, acrescentou problemas ao sector da restauração, o crescimento do número de infectados e o impedimento do uso das esplanadas, por questões climatéricas, reduziu a lotação dos espaços para metade e coloca todo um sector sobre grande pressão”, observou o dirigente, afirmando acreditar que a cobertura das esplanadas pode minorar o “risco de incumprimento dos clientes” e dos “empresários da restauração”.

Daniel Serra referiu que o sector da restauração não pode ignorar que, nos últimos dias, “existiram episódios de incumprimento” que colocaram pessoas em risco e afectaram a confiança”, e por essa razão a PRO.VAR pede que não se “poupe esforços” e apela ao Governo e às câmaras municipais que procurem “reforçar a fiscalização no terreno”.

“Torna-se imperativo que se encontrem soluções para garantir que a restauração opere na máxima segurança, protegendo a saúde púbica e tenham por sua vez, a viabilidade”, defende.

A PRO.VAR - Promover e Inovar a Restauração Nacional - é uma associação de restaurantes que nasceu em Dezembro de 2014 como uma organização de “carácter moderno e inovador, que pretende assumir a figura legal de uma associação com vista à promoção, inovação e defesa do sector específico da restauração, desenvolvendo e planeando as suas actividades de acordo com linhas orientadoras modernas”, lê-se no sítio oficial da Internet. Como missão diz pretender assumir um protagonismo complementar e não concorrente às associações do sector.