Amazon anuncia plataforma de videojogos online

O serviço chega numa altura em que os serviços por subscrição — e os videojogos — se tornam cada vez mais populares.

internet,videojogos,tecnologia,google,amazon,
Foto
O serviço custa cerca de seis dólares por mês Amazon

A Amazon também quer concorrer no mundo dos videojogos: a plataforma online norte-americana anunciou um novo serviço de jogos onlinenuma altura em que os serviços por subscrição se tornam cada vez mais populares. O Luna + vem competir com propostas como a Xbox Game Pass, da Microsoft, a PlayStation Now, da Sony, o Apple Arcade, da Apple, e o Stadia que a Google lançou no final de 2019.

A novidade foi anunciada esta quinta-feira durante uma sessão de apresentação de novos produtos e serviços da empresa.

Ser subscritor do Luna + vai custar cerca de cinco euros (5.99 dólares) por mês, com Assassin’s Creed e Resident Evil entre as séries de jogos anunciadas para o serviço. O facto de o conteúdo ser transmitido em tempo real através de uma ligação de internet, sem necessidade de ser descarregado, leva-o a ser comparado a um “Netflix dos videojogos”. Inicialmente, estará disponível para computador (PC e Mac), iPhone, iPad e nas televisões da Amazon. Eventualmente, também será possível aceder através de sistemas Android.

O site Twitch, que Amazon comprou em 2014 e que permite aos internautas filmarem-se a jogar em directo, também fará parte do Luna +.

Mercado dos videojogos continua a crescer

O novo serviço da Amazon chega numa altura em que os videojogos se tornam cada vez mais lucrativos de acordo com várias analistas de mercado, incluindo a IDC, Newzoo e Absolute Markets.

Até 2027, o mercado dos videojogos online deve ultrapassar os 286,44 mil milhões de dólares segundo com dados da consultora Absolute Markets Insight (em 2018, valia 67,67 mil milhões de dólares). Um dos impulsionadores foi o período de isolamento social devido à pandemia da covid-19. A empresa de telecomunicações norte-americana Verizon, por exemplo, descobriu que o tráfego de pessoas a jogar videojogos aumentou 75% com o começo do período de lockdown.

O formato também apele às gerações mais jovens. “Os jogos estão a substituir as redes sociais”, argumenta a equipa da consultora Newzoo, no relatório de 2020 sobre videojogos. “Esta mudança cultural está a levar o Facebook, Google, Amazon e outras gigantes tecnológicas a entrar no mundo dos videojogos. Há dez anos, as gerações mais novas estavam a deixar os media tradicionais para as redes sociais e agora estão a deixar as redes sociais para experiências mais interactivas.”

A Amazon quer aproveitar a mudança. “Criámos o Luna para fazer com que seja mais fácil [as pessoas] jogarem videojogos em dispositivos que já têm e gostam”, justificou, em comunicado, Marc Whitten, vice-presidente e responsável da secção de dispositivos e serviços de entretenimento da Amazon.

Além do Luna, esta quinta-feira a Amazon também apresentou um conjunto de colunas Echo em formato esférico e um drone de segurança criado para ficar fechado em casa e monitorizar o estado da habitação quando o alarme dispara.

Sugerir correcção