Governo prometeu mais 2500 camas para universitários, mas só 300 estão disponíveis

Há menos de 300 novos lugares em residências estudantis para o ano lectivo que agora começa, apesar das garantias que eram dadas pelo Plano Nacional de Alojamento Estudantil. As associações académicas também põem em causa o anúncio de mais 4500 camas em hostels e pousadas feito esta semana.

radiografia-alojamento-universitario,alojamento,accao-social-escolar,educacao,sociedade,ensino-superior,
Foto
Adriano Miranda

O Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES), apresentado pelo Governo no início do ano passado, previa que, no ano lectivo que agora começa, fossem criadas 2500 camas em residências estudantis. No entanto, feitas as contas à oferta disponível, poucas são as que novas vagas disponíveis, não chegando às 300. A maioria resulta de acordos com autarquias ou entidades privadas.