Entrevista

“O ministério esteve muito voltado para a ‘Ciência, Ciência’ e o Ensino Superior ficou por sua conta e risco”

A reitora da Universidade Aberta, Carla Padrel de Oliveira, lamenta que, ao contrário do que fez o Ministério da Educação, que convocou a instituição para formar 5000 professores para as aulas à distância, no ensino superior não tenha havido nenhuma iniciativa semelhante. O ensino à distãncia não são aulas no zoom nem conteúdos deixados numa plataforma online, avisa

acesso-ensino-superior-2020,ensino-distancia,educacao,sociedade,ensino-superior,universidades,
Foto

A pandemia suspendeu as aulas em todas as instituições de ensino superior, mas na Universidade Aberta o ano lectivo decorreu “conforme estava planeado” e “sem nenhuma interrupção das actividades”. São as vantagens de uma metodologia com a qual as outras instituições de ensino deviam estar a aprender, defende Carla Padrel de Oliveira, de 57 anos, que foi, no final do ano passado, eleita reitora da instituição, depois de sete anos como vice-reitora. Doutorada em Engenharia Química, ensina na única universidade pública especializada em ensino à distância, desde 1995. A Aberta conta actualmente com cerca de 6500 alunos, dos quais 14% residem fora de Portugal.