Megaoperação: quase 100 pessoas detidas por vender produtos ilegais na dark web

Operação internacional na Europa e nos Estados Unidos desmantelou o segundo maior mercado ilegal online do mundo, segundo as autoridades.

drogas,mundo,ciberseguranca,policia-judiciaria,crime,europa,
Foto
Operação resultou na apreensão de três milhões de euros em numerário e moeda virtual, e estupefacientes LUSA/MARIO CRUZ

Uma operação internacional resultou na detenção, na Europa e nos Estados Unidos, de 91 pessoas envolvidas na venda de produtos ilícitos na dark web e na apreensão de mais de três milhões de dólares.

Em comunicado conjunto da Europol e da Polícia Judiciária, divulgado esta terça-feira, é referido que a detenção das 91 pessoas surgiu após o desmantelamento, em Maio do ano passado, “do segundo maior mercado online ilegal do mundo na dark web (a área ‘oculta’ da Internet), o Wall Street Market”. 

Para além da apreensão dos três milhões de dólares em numerário e em moeda virtual, foi também apreendida “quantidade substancial de substâncias estupefacientes”, incluindo anfetaminas, cannabis, heroína, cocaína, MDMA e medicamentos contendo substâncias psicotrópicas, adianta o comunicado. 

A maioria das detenções foi efectuada nos Estados Unidos (60), seguindo-se Alemanha (19), Áustria (três), Reino Unido (três), Holanda (cinco) e Suécia (uma detenção), continuando em curso várias investigações com vista a identificar pessoas que manuseiam contas da dark web, que funciona a partir de servidores cuja localização e identificação são dissimuladas e onde a navegação é feita através de browsers que protegem o anonimato. 

A operação DisrupTor consistiu numa série de operações policiais, nas quais participou a PJ portuguesa, coordenadas pela Europol e pelo Eurojust, destinadas a causar “um impacto global na venda de bens ilícitos na dark web”.

Sugerir correcção