Ensaio

Os serviços secretos desconfiaram que Trump era um agente estrangeiro

O número dois do FBI em 2016, Peter Strzok, diz que, para o serviço de contra-espionagem doméstica, a crise foi equivalente à crise dos mísseis de Cuba em 1962.

Donald Trump e Vladimir Putin, uma amizade de que não se sabe os contornos
Foto
Donald Trump e Vladimir Putin, uma amizade de que não se sabe os contornos KEVIN LAMARQUE/Reuters

O FBI viu-se a braços com um pesadelo de segurança nacional há três anos: suspeitava de que o novo Presidente dos Estados Unidos era, de uma maneira desconhecida, controlado pela Rússia.