Vinhos de Portugal no Brasil este ano é digital e chega também a Portugal

O maior evento de vinhos portugueses no Brasil chega nos próximos dias 23 a 25 de Outubro e desta vez está disponível também online para Portugal. Com direito a receber os vinhos em casa. Bilhetes à venda a partir de dia 22.

vinhos-portugal-rio,rio-janeiro,sao-paulo,vinhos,fugas,brasil,
Foto
Mosaico com alguns dos produtores presentes no evento: Wine&Soul; Encostas de Alqueva; Quinta dos Carvalhais; Júlia Kemper; Esporão; Luís Pato; Adega Mayor e Pegos Claros Fernando Donasci/Out of Paper

A pandemia de covid-19 fez parar muitas coisas neste ano de 2020, mas o Vinhos de Portugal no Brasil – um evento conjunto dos jornais PÚBLICO, O Globo e Valor Económico em parceria com a ViniPortugal – procurou uma forma de dar a volta à situação e, na sua 7ª edição, lança-se em formato digital.

Nesta versão, aquele que nos últimos anos se tornou o maior evento de vinhos portugueses no Brasil consegue chegar não só a todo o território brasileiro (na sua versão física acontecia nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo) mas também a Portugal.

Haverá, assim, bilhetes disponíveis para o público português – que terá a oportunidade de assistir a três dias de provas ao vivo com 62 produtores de vinho, 15 provas com críticos brasileiros e portugueses, entre estas quatro provas especiais com a presença do próprio produtor.

A par disso, nasce também este ano uma plataforma digital que pretende ser uma viagem pelos universos dos 62 produtores que participam no Vinhos de Portugal (14 deles pela primeira vez). Uma equipa composta por Simone Duarte, da Out of Paper, empresa que idealizou a plataforma e é responsável pela curadoria do evento, pelo videógrafo Pedro Kirilos, o fotógrafo Fernando Donasci e a produtora Celma Carreira, percorreu Portugal de Norte a Sul, filmando, fotografando e conversando com os produtores (a aventura é contada nas páginas seguintes).

As histórias das dezenas de produtores, as imagens das quintas, os detalhes que fazem a diferença em cada um, os vinhos e as respectivas fichas técnicas, os terroirs, as pessoas, mais de 90 vídeos, perto de 450 fotografias, informações sobre mais de 500 referências de vinhos – tudo isto está disponível nesta plataforma de acesso gratuito, em vinhosdeportugal2020.publico.pt.

Apostar no formato digital no Brasil neste momento é algo natural. “Este ano há muitas limitações em termos de acções e elas tiveram que ser repensadas”, explica Frederico Falcão, presidente da ViniPortugal. “No caso do Brasil, este evento, que acontecia no Rio e em São Paulo, já não fica limitado a estas duas cidades, agora chega a todo o país.”

Frederico Falcão acredita que esta “é uma forma de promover que veio para ficar” e admite que no futuro possa existir uma combinação das duas versões. “As pessoas gostam de estar fisicamente presentes num evento de vinhos, a provar, e não vejo maneira de, assim que retomarmos alguma normalidade, substituir totalmente o evento físico.” O que poderá vir a acontecer no futuro é uma combinação do evento físico com a plataforma digital, que permite não só chegar a mais gente como “facilitar a circulação de informação e o contacto com os produtores”.

Forçados, como a maior parte do mundo, ao confinamento, os brasileiros voltaram-se em força para a internet, cujo consumo cresceu 40% no primeiro trimestre do ano, e também para o vinho, que passaram a comprar muito mais online. Frederico Falcão destaca uma boa notícia: “Houve um grande aumento do consumo online e os vinhos portugueses cresceram mais do que os dos seus concorrentes directos. Até Junho, fomos os únicos a crescer em volume e valor, o que significa que os nossos vinhos foram olhados como um valor seguro e isso é um bom sinal, um sinal de confiança do mercado.”

Além da parceria com ViniPortugal, apoiam o evento a Comissão Vitivinícola do Alentejo (CVR Alentejo), a Agência Regional de Promoção Turística Centro de Portugal, a Associação Portuguesa de Cortiça (APCOR), Mozak e Ago; apoio institucional de Sindrio e da rádio oficial CBN. Participam ainda o Instituto dos Vinhos do Porto e Douro (IVDP), a Comissão Vitivinícola do Dão (CVR Dão) e os Azeites Esporão.

As provas

62 sessões ao vivo a partir da Sala de Degustação (o equivalente ao espaço onde estão reunidos os produtores num evento físico). Estas sessões são guiadas por um dos cinco críticos do evento: o único Master of Wine de língua portuguesa, Dirceu Vianna Júnior, o crítico brasileiro do Valor Económico, Jorge Lucki, o director do jornal PÚBLICO, Manuel Carvalho, e os críticos portugueses Luís Lopes e Rui Falcão. Cada conversa com produtores terá a duração de 25 minutos.

Além disso, o Vinhos de Portugal propõe 15 provas, quatro das quais especiais, com a presença dos produtores: Luís Pato (prova guiada por Dirceu Vianna Júnior); João Portugal Ramos; Sandra Tavares e Jorge Serôdio Borges (Wine & Soul, Douro); e ainda a Tapada do Chaves (que tem, actualmente, como responsável pela enologia, o enólogo do Pêra Manca, Pedro Baptista) – estas três provas serão guiadas por Jorge Lucki e contam com vinhos especiais, alguns de colheitas raras, difíceis de encontrar no mercado.

Nas restantes 11 provas estarão em destaque as regiões do Douro e Alentejo, os vinhos do Porto (conduzida por Manuel Carvalho), os vinhos do futuro e as diferenças entre vinhos varietais, de lote e field blend (Dirceu Vianna Júnior).

A par dos três dias do evento, a plataforma Vinhos de Portugal, que continuará disponível, oferece toda a informação, com vídeos, fotos e histórias únicas de cada produtor, e ainda a sessão (que existe normalmente no evento físico) Tomar um Copo. Aí, 22 produtores, a maioria do Alentejo e do Porto e Douro, provam vinhos e falam de cultura numa série de vídeos.

Há ainda três vídeos inéditos com a cantora brasileira Adriana Calcanhotto, presença já habitual nos Vinhos de Portugal, à conversa – sobre o universo do vinho, claro – com o arquitecto Siza Vieira e o cartoonista Luís Afonso, e ainda a entronização de Calcanhotto numa confraria de vinho.

Por fim, a rubrica Vinhos Com traz vídeos com cortiça (para dar a conhecer o processo de extracção), viagens, sustentabilidade e natureza – uma viagem pelo Centro de Portugal, do litoral com as ondas que atraem surfistas de todo o mundo até ao topo da serra da Estrela, passando, entre outras coisas, pelo extraordinário trabalho de cutelaria artesanal de Paulo Tuna nas Caldas da Rainha.

Toda a informação em vinhosdeportugal2020.publico.pt

Sugerir correcção