Há 250 professores em risco que optaram por declaração médica. Mas número pode crescer

Os professores em risco podem apresentar uma declaração ou um atestado médico, dois instrumentos diferentes.

Foto
Rui Gaudêncio

No início deste ano lectivo, deram entrada na Direcção-Geral da Administração Escolar (DGAE) 250 pedidos de substituição de professores, mediante declaração médica e recorrendo ao regime excepcional de protecção ao trabalhador. O número, facultado ao PÚBLICO pelo Ministério da Educação, refere-se a docentes que pertencem a grupos de risco para a Covid-19 e que, com a apresentação desta declaração, podem ausentar-se da sala de aulas e receber salário por 30 dias.