Há 250 professores em risco que optaram por declaração médica. Mas número pode crescer

Os professores em risco podem apresentar uma declaração ou um atestado médico, dois instrumentos diferentes.

educacao,sociedade,escolas,professores,ministerio-educacao,doencas,
Foto
Rui Gaudêncio

No início deste ano lectivo, deram entrada na Direcção-Geral da Administração Escolar (DGAE) 250 pedidos de substituição de professores, mediante declaração médica e recorrendo ao regime excepcional de protecção ao trabalhador. O número, facultado ao PÚBLICO pelo Ministério da Educação, refere-se a docentes que pertencem a grupos de risco para a Covid-19 e que, com a apresentação desta declaração, podem ausentar-se da sala de aulas e receber salário por 30 dias.