cortica,vinhos,fugas,agricultura,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Diogo Ventura
cortica,vinhos,fugas,agricultura,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Diogo Ventura
cortica,vinhos,fugas,agricultura,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Diogo Ventura
cortica,vinhos,fugas,agricultura,alentejo,turismo,
Fotogaleria
Diogo Ventura
Fotogaleria
Diogo Ventura
Fotogaleria
Diogo Ventura
,?Okina
Fotogaleria
Diogo Ventura
Reportagem

Em Abrantes, a natureza surpreende e a diversidade “é a maior riqueza”

Tem fronteira na Albufeira de Castelo de Bode e o Tejo no coração, tem toque de Beiras e de Alentejo. Serras e planícies de sobreiros. É o concelho de Abrantes para lá da cidade, com cerâmica artesanal, praias fluviais, indústria, vinhos e cortiça.

Abrantes confunde-se com o centro da cidade, mas é muito mais do que isso. É um conjunto de freguesias dispersas, com uma personalidade muito própria e um bairrismo tão vincado que até há pouco tempo os bancos do recreio da secundária “pertenciam” a cada uma. Ai do miúdo que se sentasse noutro lado, contam-nos, entre risos da caricatura. São 40 quilómetros, de Norte a Sul do concelho, que “se podem fazer numa hora de bicicleta”, mas a paisagem e a cultura vão mudando.