António Carlos Cortez vence Prémio Ruy Belo com Jaguar

Publicado em 2019, Jaguar é constituído por 48 poemas em prosa que abordam temas como o fim da linguagem e figuras como Philip Glass, Jim Morrison, Ian Curtis e Rimbaud.

lingua-portuguesa,sintra,poesia,literatura,culturaipsilon,livros,
Foto
António Carlos Cortez DR

O livro de poesia Jaguar, de António Carlos Cortez, venceu este ano o Prémio Literário Ruy Belo, pela sua “coerência estrutural” e por revelar um “salto quantitativo” em relação à obra do autor, anunciaram esta sexta-feira os promotores da iniciativa.

O vencedor do Prémio Ruy Belo demonstra uma “coerência estrutural do volume, patente na forma como os diversos núcleos imagéticos que explora se vão desdobrando de forma fulgurante”, afirma o comunicado divulgado pela Câmara Municipal de Sintra, que promove o prémio. O júri do prémio considerou ainda o livro de António Carlos Cortez como “um assinalável salto qualitativo em relação à [sua] obra”, que encara o “poema como caçada terrível”.

Jaguar, publicado em 2019 pela Dom Quixote, é constituído por 48 poemas em prosa, que abordam temas como o fim da linguagem, a música de Philip Glass, a poesia de Jim Morrison, o sangue de Ian Curtis, a guerra, o Vietname, a literatura e as visões de Rimbaud.

Nascido em Lisboa, em 1976, o autor é também ensaísta e crítico de poesia. Da sua obra fazem parte títulos como Poética com Dicção, A Dor Concreta, Animais Feridos e O Nome Negro.

O júri do prémio, destinado a galardoar uma obra poética publicada no biénio 2018/19, analisou um total de 26 obras. José Manuel Mendes, da Associação Portuguesa de Escritores, Ricardo Gil Soeiro, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários, e João Rodil, da Câmara Municipal de Sintra, compuseram o júri que avaliou as obras.

O Prémio Literário Ruy Belo já galardoou, em anteriores edições, António Ramos Rosa, Artur do Cruzeiro Seixas, Fernando Guimarães, Manuel de Freitas e Rui Lage. Este prémio tem como objectivo dinamizar e estimular a criação literária e homenagear o poeta de País Possível e O Problema da Habitação, que viveu no município de Sintra.

A cerimónia de entrega do prémio está marcada para o dia 30 de Setembro, pelas 12h00, nos Paços do Concelho, em Sintra.

Na última edição, em 2018, o Prémio Ruy Belo foi atribuído ao escritor Rui Laje, pelo livro Estrada Nacional, editado em 2016.

Sugerir correcção