Ana Gomes passa para segundo lugar com 14% das intenções de voto

Marcelo Rebelo de Sousa continua destacado na preferência dos portugueses, mas longe dos 70% que já chegou a atingir.

ana-gomes,marisa-matias,presidente-republica,marcelo-rebelo-sousa,politica,eleicoes,
Foto
Ana Gomes lançou candidatura há menos de uma semana rui gaudencio

Mais de 46 pontos percentuais separam, neste momento, os dois candidatos presidenciais mais bem colocados na sondagem da Intercampus, revelada nesta quarta-feira pelo Correio da Manhã, CMTV e Jornal de Negócios. Marcelo Rebelo de Sousa continua em primeiro lugar, com uns destacados 60,3% e Ana Gomes ultrapassou André Ventura, passando para segundo lugar, com 14%.

Com este resultado, e apesar de ter perdido 7,4 pontos em relação ao último estudo de opinião da mesma empresa, publicado há um mês, o actual Presidente da República conseguiria ser reeleito à primeira volta. Mas primeiro Marcelo Rebelo de Sousa ainda tem de apresentar a recandidatura, o que só deverá acontecer em Novembro.

Ana Gomes, que se lançou na corrida há quase uma semana, subiu mais de cinco pontos (de 8,7 para 14%), ultrapassando André Ventura. O candidato do Chega desceu de 10,1 para 9,4%, perdendo menos de um ponto mas baixando para a terceira posição. Recorde-se que, assim que Ana Gomes avançou, o também deputado anunciou que se demitiria caso ficasse atrás da socialista nas eleições.

Segue-se Marisa Matias, com 6,2% (mais dois pontos) e Jerónimo de Sousa, com 2,9% (mais 0,4 do que em Agosto) – o trabalho de campo foi feito antes de o PCP apresentar João Ferreira como candidato a Belém (João Ferreira foi anunciado no sábado, dia 12, e as entrevistas telefónicas terminaram no dia 9).

Tiago Mayan Gonçalves, que é o candidato da Iniciativa Liberal, foi pela primeira vez considerado para a sondagem, surgindo com 0,5% das intenções de voto. Nenhum dos outros pré-candidatos foi testado.

A sondagem foi realizada pela Intercampus e consistiu em 614 entrevistas telefónicas feitas entre os dias 4 e 9 de Setembro. Estiveram envolvidos 27 entrevistadores. O erro máximo de amostragem deste estudo, para um intervalo de confiança de 95%, é de mais ou menos 4%.

Sugerir correcção