PS afasta-se da maioria absoluta

Barómetro da Intercampus aponta subida do BE e PAN.

Os socialistas recuaram a valores de Abril nas intenções de voto
Foto
Os socialistas recuaram a valores de Abril nas intenções de voto LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O PS caiu nas intenções de voto e voltou a valores de Abril ao mesmo tempo que o BE e que o PAN ganharam mais força e que a direita ficou praticamente estagnada. Este é o retrato traçado pelo barómetro de Setembro realizado pela Intercampus para o Jornal de Negócios e Correio da Manhã/CMTV, depois de o primeiro-ministro ter acenado com um cenário de crise política a propósito da viabilização do próximo Orçamento do Estado (OE).

Os socialistas obtêm 37,4% das intenções de voto, menos 2,2 pontos percentuais do que em Agosto, representando o valor mais baixo desde Abril e que se afasta do cenário de maioria absoluta de Maio e Junho.

Já o BE, um dos partidos com que o Governo negoceia o OE, recupera dos 8,5% para 9,9% das intenções de voto. Pelo contrário, a CDU perde um ponto percentual (para 5,1%) depois da polémica em torno da realização da Festa do Avante!. O mesmo retrato aplica-se aos líderes dos dois partidos: Catarina Martins reforçou a sua imagem (de 2,8% para 3,1%) enquanto Jerónimo de Sousa ficou desgastado (de 2,5% para 2,3%).

O PAN sobe nas intenções de voto, conseguindo 4,1% das intenções de voto, um salto face aos 3,2% de Agosto. 

À direita, todos os partidos – PSD, Chega, CDS e Iniciativa Liberal – sofrem algum desgaste face a Agosto embora não seja significativo. O PSD recua para 24,3% (contra 24,8%), o Chega baixou para 7,4% (tinha 7,9%), o CDS perde uma décima para 4,3% e a IL regista uma quebra de 2,8% para 2,1%.

O trabalho de campo da sondagem foi realizado entre os dias 4 e 9 de Setembro. A amostra é constituída por 614 entrevistas e uma selecção através da geração aleatória de números de telefone fixo/móvel.