Nove distritos em alerta vermelho no domingo devido ao risco de incêndio

A Protecção Civil diz que Beja, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Setúbal e Santarém estão em elevado risco de incêndio. ANEPC justifica com “persistência de tempo quente e seco”.

incendios,proteccao-civil,sociedade,meteorologia,incendios-florestais,clima,
Foto
Temperaturas vão continuar muito elevadas, podendo chegar aos 38ºC de máxima e 23ºC de mínima LUSA/NUNO ANDRÉ FERREIRA

A Protecção Civil decidiu colocar, no domingo, em estado de alerta especial nível vermelho os distritos de Beja, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Portalegre, Setúbal e Santarém devido ao elevado risco de incêndio.

Os distritos de Beja e Faro já estavam este sábado em estado de alerta especial de nível vermelho (o mais grave de uma escala de quarto) e que se destina ao nível de prontidão máximo de todos os agentes de protecção civil e do dispositivo de combate a incêndios.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) refere que estes nove distritos vão estar em alerta vermelho entre a meia-noite e as 23h59 de domingo devido à “persistência de tempo quente e seco com agravamento nos índices de risco de incêndio rural para muito elevado e máximo para grande parte do território nacional”.

Segundo a ANEPC, os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Coimbra, Lisboa, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu vão permanecer em estado de alerta especial de nível laranja.

Portugal Continental está em situação de alerta devido ao risco de incêndio florestal até às 23h59 de domingo.

Durante este período é proibido a realização de queimas e queimadas e o uso de fogo-de-artifício ou de outros artefactos pirotécnicos, e são proibidos o acesso, a circulação e a permanência em espaços florestais “previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios”, bem como a proibição da caça e a realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria.

A situação de alerta implica ainda o reforço da prontidão dos meios e dos agentes que participam nas operações de prevenção e combate a incêndios rurais e a activação das estruturas de coordenação, quer de nível nacional, quer nos distritos onde esta declaração se aplica.

Entretanto, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) divulgou uma nota onde alerta para a “persistência do tempo quente e seco”, devido à “influência de uma massa de ar proveniente do norte de África, com impacto no risco de incêndio, que será elevado a máximo”.

A temperatura máxima vai continuar elevada (entre os 30 e 38ºC), com emissão aviso amarelo de tempo quente para 11 distritos e, em muitos locais, a temperatura mínima vai variar entre 20 e 23ºC, “ou seja, prevêem-se noites tropicais”, indicou o IPMA.

O vento vai intensificar na região sul e terras altas durante a noite de sábado para domingo, com rajadas até 80 quilómetros por hora, acrescentou.

Além disso, o céu vai ainda apresentar períodos de maior nebulosidade, especialmente a partir de domingo, antecipando uma mudança da situação meteorológica que vai trazer precipitação na segunda-feira e descida de temperatura.

Sugerir correcção