Unsplash
Foto
Unsplash

Cria a imagem da candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura e ganha 10 mil euros

Está aberto o concurso para a criação da imagem da candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura 2027. Trabalhos devem ser entregues até 27 de Outubro.

A Câmara Municipal de Coimbra anunciou esta terça-feira o lançamento de um concurso para a criação da imagem da candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura 2027, com um prémio no valor de dez mil euros.

“Esta é uma forma de a autarquia continuar a envolver a comunidade e incentivar a participação dos cidadãos neste processo de elaboração da candidatura, tal como fez ao escolher este tema para a terceira edição do Orçamento Participativo do município que está agora em fase de votação”, avançou a autarquia presidida por Manuel Machado em comunicado enviado à agência Lusa.

O concurso destina-se “a pessoas singulares ou colectivas, que tenham como actividade profissional o design gráfico, marketing ou comunicação, para a criação da imagem da candidatura”. Os trabalhos deverão ser entregues até às 16h30 do dia 27 de Outubro, na Divisão de Relação com o Munícipe da Câmara Municipal de Coimbra ou remetidos por correio registado.

Os concorrentes podem apresentar mais do que um trabalho, mas cada trabalho deverá ter uma candidatura autónoma. O regulamento do concurso pode ser consultado aqui. Os trabalhos serão avaliados pelo júri do concurso, que lhes atribui um número, de forma a preservar o anonimato dos concorrentes. “A avaliação será efectuada de acordo com os seguintes critérios: integração e coerência globais (tem um peso de 30% na pontuação final e valoriza o logótipo nas suas vertentes textual, gráfica, estética ou outra, nas diferentes peças da proposta a apresentar”, avança a autarquia.

Outros critérios são a qualidade criativa direccionada (tem um peso de 30% na pontuação final e valoriza a capacidade de criação de um logótipo que faça notar com evidência o claim da candidatura); originalidade (tem um peso de 40% na pontuação final e valoriza a qualidade estética, a originalidade e a diferenciação do logótipo face a outras entidades, especialmente em relação a outras cidades que já conseguiram o título de Capital Europeia da Cultura).

“É importante, pois, que os concorrentes tenham em consideração o claim da candidatura e consigam comunicar, com eficácia, os valores que lhe estão subjacentes, bem como mostrar, claramente, que a cidade nunca deixou de evoluir e que, sendo uma cidade de fortes tradições e marcas identitárias, se caracteriza, simultaneamente e cada vez mais, pelo seu desassossego, pela sua juventude”, adianta a autarquia.

A candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura 2027 é presidida pelo mágico Luís de Matos, sendo apoiada pela Universidade de Coimbra (UC), por deliberação unânime do Senado, e pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, que integra 19 municípios. Além de Luís de Matos, integram o grupo de trabalho o médico social-democrata Nuno Freitas, o deputado municipal da CDU e antigo director do Conservatório de Música de Coimbra, Manuel Rocha, o antigo vice-reitor da UC para a área do turismo, Luís Menezes, o ex-director regional da Cultura do Centro Pedro Pita, e a antiga vice-reitora da UC Cristina Robalo Cordeiro.

Sugerir correcção