entrevista,patrimonio,culturaipsilon,arquitectura,livros,italia,
DR
Entrevista

Francesco Careri sonha com um circo em cada bairro de Roma

Desde meados da década de 1990 que o arquitecto e fundador do grupo Stalker faz caminhadas pelos interstícios e periferia da capital italiana. Foi assim que se deparou com comunidades nómadas e uma energia que diz faltar às cidades. Caminhar continua a ser importante para renomear e transformar o mundo.

Francesco Careri quer trazer o circo à cidade. O arquitecto, urbanista e artista-caminhante italiano não se refere a tendas, elefantes e trampolins. Mas ao espírito nómada do circo, de gente que vem de longe, estabelece-se na cidade, e passado algum tempo vai embora, trazendo nesse intervalo novidades sobre outros lugares e uma energia própria, que acaba por contaminar o que está em volta. Migrantes, artistas, refugiados, estudantes, moradores de rua e até turistas, viveriam juntos no C.I.R.C.O., acrónimo para Casa Irrinunciabile per la Ricreazione Civica e l’Ospitalità (Casa Irrenunciável para o Lazer Cívico e a Hospitalidade).