Sporting termina época com lucro de 12,5 milhões de euros

Clube passou de prejuízo para lucros com a ajuda dos rendimentos proveninentes de vendas de jogadores. Volume de negócios de 175,5 milhões de euros é valor recorde para os “leões”.

futebol,sporting,desporto,financas-desporto,futebol-nacional,cmvm,
Foto
LUSA/MÁRIO CRUZ

A SAD do Sporting terminou a temporada 2019/20 com um resultado líquido positivo de cerca de 12,5 milhões de euros, de acordo com o relatório de contas publicado na segunda-feira.

De acordo com o documento enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD “leonina” terminou a última temporada com um resultado líquido de 12,5 milhões de euros, melhorando em relação ao período homólogo, que tinha sido um resultado negativo de 7,9 milhões de euros.

Segundo os “leões”, este desempenho deve-se sobretudo aos rendimentos provenientes da transacção de jogadores, que atingiram 106,95 milhões de euros, “um recorde absoluto da Sporting SAD.

Nesta rubrica, destaque para a venda de Bruno Fernandes para o Manchester United, por 55 milhões de euros, mais 25 em variáveis por objectivos (já foram pagos três milhões), assim como as saídas de Raphinha (21 milhões de euros) e Thierry Correia (12 milhões de euros).

Outro dos factores que levou à melhoria dos resultados foi a redução da massa salarial em 12%, um decréscimo de cerca de 8,3 milhões de euros, que, de acordo com a SAD do Sporting, poderia ter sido maior, não fossem os 7,1 milhões de euros pagos em indemnizações.

Ainda não registados estão os 16,5 milhões de euros que Rafael Leão foi obrigado a pagar pela resolução ilícita do contrato de trabalho, após a invasão da Academia de Alcochete.

O volume de negócios dos “leões” atingiu os 175,5 milhões de euros (no período homólogo de 2019 tinham sido 151,6), enquanto o passivo foi reduzido em 26,2 milhões de euros (23,3 milhões devido à amortização de dívida bancária), estando actualmente nos 298,6 milhões de euros.

Os “leões” prevêem ainda um impacto negativo de 3,7 milhões devido à pandemia de covid-19.

Sugerir correcção