joao-melo,ribeira-grande,fugas,acores,turismo,ambiente,
Enric Vives-Rubio
Reportagem

Pico, a sombra do futuro

Nem sequer precisaria de ser a mais alta. Basta-lhe ser o Pico para escorrerem nela todas as montanhas que habitamos, incluindo as suas seis companheiras do céu que fomos atravessando pelos caminhos deste Verão, do Açor aos Açores. Misteriosa e mágica? Sagrada ou Atlântida? Transparente de tão negra? Nenhum outro pico se poderia chamar simplesmente Pico.

– E já ali está a lua!
Eu só quero que a lua vá embora.
O quê?
Eu queria que a lua saísse daqui, para tu veres o céu. É dantesco.