Em busca das vidas perdidas

Catarina Gomes é exímia na forma como se apaga das histórias para dar vida aos objectos que encontrou através da história dos seus proprietários.

Foto
As vidas de “pessoas comuns” através de objectos encontrados

Foi a “descoberta acidental de uma caixa de cartão empoeirada, cheia de objectos de antigos doentes do primeiro hospital psiquiátrico português, o Miguel Bombarda”, que deu origem a uma série de textos, publicados no PÚBLICO, e que serviram de base a este livro da jornalista Catarina Gomes. Como a própria confessa, no texto introdutório, os sujeitos eram para ser outros — um conjunto de doentes famosos: o assassino do médico Miguel Bombarda, o assassino do presidente Sidónio Pais, o poeta Ângelo Lima, o agricultor-artista Jaime Fernandes, ou o bailarino Valentim de Barros.