Sociedades de advogados obrigadas a ter responsável para prevenir “lavagem” de dinheiro

Procurador do DCIAP espera que novo regulamento dos advogados faça subir o número de comunicação de operações suspeitas

Foto
Rui Gaudencio

As sociedades de advogados vão ser obrigadas a partir do próximo mês a ter um responsável por zelar pelo cumprimento das obrigações dos seus profissionais no âmbito da prevenção do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo. Este advogado será o interlocutor da sociedade na comunicação de operações suspeitas de “lavagem” de dinheiro, que devem ser reportadas ao bastonário que, por sua vez, as encaminha para o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) e para a Unidade de Informação Financeira da Polícia Judiciária, competentes para analisar estes alertas.