Trump quis uma convenção a girar à sua volta, e nem O Aprendiz faltou

Convenção do Partido Republicano arranca esta segunda-feira. O objectivo é superar, como espectáculo televisivo, a reunião do Partido Democrata. Mas a pandemia e as divisões no país tiraram influência aos outrora grandes acontecimento mediáticos.

Foto
Trump envolveu dois produtores do reality show O Aprendiz na organização da convenção republicana Reuters/TOM BRENNER

Quatro anos depois de ter nomeado como candidato a Presidente dos Estados Unidos, com surpresa e de sobrolho levantado, um milionário e estrela de reality shows que parecia estar a caminho de uma humilhação nas eleições, o Partido Republicano prepara-se para repetir a escolha, esta semana, numa convenção de quatro dias marcada pela pandemia de covid-19. Mas, desta vez, só o nome do candidato é o mesmo: em 2020, Donald Trump é o líder incontestado de um partido que se habituou a ganhar com ele, e que há muito decidiu fechar os olhos às acusações contra o seu Presidente-candidato, de quem depende para se manter no poder nos próximos quatro anos e para consolidar uma viragem conservadora no Supremo Tribunal.