A revolução em curso na política libanesa

O movimento Li Haqqi quer acabar com o sistema que domina o Líbano. Para este partido laico, sem líder, com tantos homens como mulheres, a mudança já começou. A explosão em Beirute foi um corte simbólico.

Foto
Protestos em Beirute na que ficou conhecida como revolução de Outubro, no ano passado Andres Martinez Casares

Adham acredita no Líbano. “Sim, estou optimista”, não hesita em dizer, enquanto caminhamos pelas ruas invulgarmente quietas de Hamra, o bairro onde ele mora. Numa manhã de domingo assim, as lojas estariam abertas, os cafés cheios, daqui a pouco os restaurantes. Hamra é um pólo cultural de Beirute, grandes universidades, muitas livrarias, esplanadas. Mas estamos em pleno estado de emergência covid-19, terceiro dia de confinamento, recolher obrigatório à noite.

Sugerir correcção