Primeira longa-metragem de Marta Ribeiro compete no Festival de San Sebastián

Simon Chama junta-se assim a A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos, e a Noite Perpétua, de Pedro Peralta, na disputa do prémio Zabaltegi-Tabakalera.

cultura,festival-san-sebastian,cinema-portugues,cinema,culturaipsilon,
Foto
dr

O filme Simon Chama, a primeira longa-metragem da realizadora portuguesa Marta Ribeiro, foi seleccionado para o Festival de Cinema de San Sebastián, que começa em Setembro em Espanha. Junta-se à competição pelo prémio Zabaltegi-Tabakalera, secção que é descrita pela organização como “a mais aberta” do festival.

Para esta competição tinham já sido anunciados 19 outros filmes, entre os quais a longa-metragem A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos, e a curta Noite Perpétua, de Pedro Peralta.

Marta Ribeiro, que assina também o argumento de Simon Chama, foi uma das fundadoras da produtora Videolotion, e realizou a curta-metragem Amareloazulpretoamarelo (2012) e dois episódios das minisséries Crias e Subsolo.

O Festival de Cinema de San Sebastián vai realizar-se entre 18 e 26 de Setembro naquela cidade basca, com a redução de algumas actividades de programação devido à pandemia de covid-19.

Ainda assim, segundo comunicado da organização em Julho, o festival pretende manter o formato presencial de várias das secções, incluindo a oficial, a estudantil Nest e a do prémio Zabaltegi-Tabakalera, entre outras.

Outra co-produção portuguesa, El repartidor está en camino, do argentino Martín Rejtman, vai estar no festival, mas no âmbito do Fórum de Co-produção Europa-América Latina.

Sugerir correcção