Califórnia pede ajuda para lutar contra incêndios que ameaçam cidades

Tempestades de raios secas estão a ser o motor de grandes incêndios que estão já entre os maiores da história desde estado da costa Oeste dos EUA.

tempestade,california,eua,mundo,america,incendios-florestais,
Foto
Reuters/STEPHEN LAM

Duas dezenas de enormes incêndios florestais consumiam grandes áreas da Califórnia neste sábado, alimentados pelas altas temperaturas e por tempestades de raios. Já morreram seis pessoas e perto de 700 edifícios arderam, desde o início de uma tempestade eléctrica na semana passada, o incêndio atingiu uma área e cerca de 405 mil hectares. 

Os incêndios florestais estão a ameaçar algumas zonas da Baía de São Francisco, a região florestal perto da Universidade da Califórnia em Santa Cruz e uma vasta área entre a cidade de São Francisco e a capital estadual, Sacramento.

Cerca de 14 mil bombeiros estão a combater as chamas mas está a ser difícil conter a progressão dos maiores incêndios, que duplicaram de dimensão na sexta-feira. O governador Gavin Newsom apelou às populações em risco para saírem das suas residências, porque estes incêndios estão entre os maiores da história da Califórnia - pelo menos 175 mil pessoas fizeram-no. Pediu também ajuda a outros estados norte-americanos.

As tempestades secas com raios estão a ser devastadoras: o Departamento de Florestas de Protecção contra Incêndios (CalFire) tem registos de perto de 12 mil descargas que atinjam terra. São as piores das últimas duas décadas.

Há múltiplos apelos a que seja enviada por Washington a Guarda Nacional, uma força reservista, para ajudar a combater esta frente de incêndios.

Além disso, a pandemia do novo coronavírus, que está longe de estar controlada na Califórnia - ou nos Estados Unidos, como um todo - pode agravar-se ainda mais com o fumo e as partículas em suspensão na atmosfera. É já um facto assente que a má qualidade do ar e a poluição facilita a infecção e abre portas a uma resposta inflamatória mais severa, a que o doente tem mais dificuldade em sobreviver. 

Além disso, espera-se a continuação deste tempo de tempestades eléctricas - o que faz continuar o risco de incêndio. 

Sugerir correcção