Steve Bannon libertado após pagar caução de cinco milhões de dólares

Ex-estratega de Donald Trump declarou-se inocente em tribunal e falou em “fiasco”. Trump está “triste” com a acusação contra Bannon, mas afasta-se do antigo conselheiro.

Foto
Steve Bannon à saída do tribunal de Manhattan Reuters/ANDREW KELLY

Steve Bannon, antigo conselheiro e director da campanha eleitoral de 2016 Donald Trump, foi libertado na quinta-feira depois de pagar parte da fiança no valor de cinco milhões de dólares.

Bannon, de 66 anos, foi detido juntamente com três dos seus colaboradores mais próximos por suspeitas de desvio de fundos de doadores para a campanha “Construímos o muro”, que tinha como objectivo construir uma barreira na fronteira com o México que Donald Trump prometeu na sua campanha eleitoral.

Os procuradores federais de Nova Iorque afirmam que Bannon recebeu mais de um milhão de dólares de uma campanha online, criada em 2018 através da plataforma GoFundMe, dinheiro esse que “utilizou para cobrir centenas de milhares de dólares em despesas pessoas”.

Além de Bannon, foram detidos Timothy Shea, 49 anos, Andrew Badolato, 56 anos, e Brian Kolfage, um veterano da Guerra do Iraque de 38 que criou a campanha “Construímos o muro”. Os procuradores acusam-nos de “orquestrarem um esquema para defraudar centenas de milhares de doadores”.

Steve Bannon, considerado o ideólogo de Donald Trump e um dos impulsionadores do movimento populista de extrema-direita na Europa, foi detido enquanto estava num iate de luxo. Em tribunal, em Manhattan, declarou-se inocente.

À saída do tribunal, Bannon tirou a máscara, acenou aos seus apoiantes que estavam no local e falou com os jornalistas. “Todo este fiasco é para travar as pessoas que querem construir o muro”, disse, antes de entrar numa carrinha preta. 

O antigo estratega e conselheiro de Trump, que também foi director executivo do site Breitbart News, um dos órgãos preferidos da extrema-direita norte-americana, está agora impedido de sair das áreas metropolitanas de Nova Iorque e Washington e não pode viajar em barcos ou aviões privados.

Questionado sobre a detenção do antigo conselheiro, Donald Trump lamentou o caso e disse que estava “muito triste”. Mas distanciou-se de Bannon: “Não falo com ele há anos, literalmente há muitos anos.” O Presidente garantiu ainda aos jornalistas que “não sabia nada sobre o caso” e que não conhece os outros três detidos. 

Bannon é o ultimo de uma série de figuras próximas do Presidente que enfrentam a justiça, numa lista que inclui o ex-director de campanha Paul Manafort, o ex-conselheiro Roger Stone, o antigo advogado Michael Cohen, e o ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn.