Covid-19. Mais de 300 pessoas “potencialmente envolvidas” no surto de Mora – que pode ter chegado a Montemor-o-Novo

Directora-geral da Saúde revelou que há um outro surto com 24 casos identificados na freguesia de Ciborro, em Montemor-o-Novo, foco que está “possivelmente relacionado com o primeiro” em Mora.

mora,evora,saude,sociedade,portugal,doencas,
Foto
Montemor-o-Novo Daniel Rocha

Há mais de 300 pessoas “potencialmente envolvidas” no surto de covid-19 na vila de Mora, no distrito de Évora, revelou esta segunda-feira a directora-geral da Saúde, Graça Freitas, que classificou o surto de “complexo”.

“Há, de facto, um surto em Mora. É um surto complexo porque tem mais de 300 pessoas potencialmente envolvidas. A maior parte delas já foram testadas”, afirmou Graça Freitas, acrescentando que “quer a origem quer as cadeias de transmissão estão ainda sob investigação”.

“Não é apenas os casos iniciais que interessam, são todos os casos secundários, terciários e quaternários. Trata-se, de facto, de um surto complexo, já com 40 casos identificados em Mora e está em investigação pelas autoridades de saúde e é precoce estarmos a fazer afirmações sobre a sua origem e cadeias subsequentes”, notou.

Na conferência de imprensa desta segunda-feira sobre a situação da pandemia em Portugal, a directora-geral da Saúde explicou ainda que há um outro surto com 24 casos identificados em Montemor-o-Novo, no mesmo distrito, que está “possivelmente relacionado com o primeiro” em Mora. “Digo possivelmente porque ainda está em investigação”, disse Graça Freitas, destacando que já foram realizados 225 testes neste segundo foco e que “só quando as investigações terminarem é que poderemos reconstituir as cadeias de transmissão”.

Serviços municipais de Mora encerrados até 21 de Agosto

O surto na vila alentejana de Mora surgiu há cerca de uma semana, no dia 9 de Agosto, altura em que foram confirmados os três primeiros casos positivos de covid-19 na comunidade. O número de casos foi subindo à medida que os contactos das pessoas infectadas foram testados.

A câmara municipal activou o Plano Municipal de Emergência devido ao surto, tendo sido encerrados, na semana passada, os serviços de atendimento ao público e outros equipamentos como a Oficina da Criança, a Casa da Cultura, o Centro de Actividades de Tempos Livres e instalações desportivas.

O presidente da câmara de Mora, Luís Simão, constatou à agência Lusa que, ao longo da última semana, foram também encerrados cafés, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais, estando a população confinada em casa, como medida preventiva.

Nesta segunda-feira à tarde, o número de infectados subiu para 42 e a Protecção Civil de Mora decidiu prolongar o encerramento ao público dos serviços municipais até sexta-feira. A decisão foi tomada numa reunião da Comissão Municipal de Protecção Civil e consta de um despacho assinado pelo presidente da câmara municipal e publicado no site da autarquia.

Determino prolongar o encerramento ao público até ao dia 21 de Agosto [sexta-feira], inclusive, das instalações da Oficina da Criança, do edifício dos Paços do Concelho, da Casa da Cultura e de todos os equipamentos desportivos, refere o documento, que acrescenta que no final deste período, a situação será reavaliada.

O presidente da câmara revelou ainda à agência Lusa que o número de pessoas infectadas em Mora subiu para 42. Os dados que temos da autoridade de saúde, até às 12h de hoje, é que há 42 pessoas infectadas, afirmou Luís Simão. Destes, quatro doentes, todos homens, estão internados no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), sendo que dois deles encontram-se nos cuidados intensivos, avançou, acrescentando que já foram realizados seguramente mais de 300 testes até esta segunda-feira.

O autarca revelou ainda à Lusa que os funcionários do município vão ser todos testados na terça-feira e que a câmara, dependendo da disponibilidade do laboratório que está a trabalhar com a Autoridade de Saúde Pública, vai tentar que os bombeiros e os elementos da GNR possam fazer os testes ainda esta semana. Embora as 42 pessoas diagnosticadas com covid-19 residam todas na vila e freguesia de Mora, o que significa que o surto está confinado a esta área e não se propagou no restante concelho, foram suspensas as visitas a todos os lares de idosos. Com Lusa

Sugerir correcção