Reviravolta do Sevilha frente ao Manchester United vale sexta final da Liga Europa

Bruno Fernandes abriu o marcador para os ingleses, mas erros defensivos permitiram a reviravolta dos espanhóis que vão lutar pelo sexto troféu nesta competição.

Foto
De nada valeu ao United o golo de Bruno Fernandes que inaugurou o marcador LUSA/Ina Fassbender / POOL

O Sevilha voltou a provar que é imbatível nas meias-finais da Liga Europa. Os espanhóis estiveram a perder frente ao Manchester United, este domingo, em Colónia, na Alemanha, mas deram a volta ao marcador e pela sexta vez estarão na final da competição que conquistaram nas anteriores cinco ocasiões. A derrota do United (2-1) foi pesada para os ingleses, que não aproveitaram o golo de Bruno Fernandes a abrir o marcador.

O arranque da partida para o Sevilha não correu de forma muito diferente do confronto dos quartos-de-final em Inglaterra, onde eliminou o Wolverhampton de Nuno Espírito Santo (0-1). Um penalti nos instantes iniciais a beneficiar o adversário. A diferença foi que o português Bruno Fernandes - aos 9’, após uma falta sobre Rashford - não falhou a oportunidade de bater Bono (que não sofria golos há 521 minutos) ao contrário do que fizera Raúl Jiménez há cinco dias.

O Manchester United via-se em vantagem e jogava de forma bem mais serena do que acontecera com o Copenhaga na ronda anterior, onde foi obrigado a um prolongamento para garantir a presença nas meias-finais (1-0). Sob a batuta de Pogba, mas, principalmente de Bruno Fernandes, o rei dos golos desta Liga Europa, com oito (cinco pelo United e três ainda ao serviço do Sporting), para além de quatro assistências, a equipa colocava emn sentido os espanhóis.

Os sevilhanos procuraram reagir e não perder a identidade, mesmo sem a disponibilidade física que demonstraram frente ao Wolverhampton. Iniciando a construção a partir das alas, com os laterais a envolverem-se no ataque para criar desequilíbrios na defesa inglesa.

Foi assim que nasceu o golo do empate, aos 26’, quando um arranque de Reguilón na esquerda apanhou o United desprevenido, cruzando para o segundo poste, onde Suso desviou para as redes.

Depois de ter sido eliminado nas meias-finais da Taça da Liga inglesa (frente ao Manchester City) e da Taça de Inglaterra (Chesea) o United não queria dar mais uma desilusão aos seus adeptos. Voltou para a segunda metade ainda mais determinado. Assumiu a posse de bola, criou várias oportunidades, rematou muito, mas a noite não seria de comemoração para os ingleses.

Aos 78’, num momento em que o encontro estava mais dividido, um erro da defesa do United entregou a partida aos sevilhanos. Um cruzamento em balão de De jong encontrou Wan Bissaka que não deu oportunidade a De Gea. Estava confirmada a reviravolta.

O Sevilha irá conhecer esta segunda-feira o oponente da final, que sairá do encontro desta segunda-feira entre o Inter de Milão e o Shakhtar Donetsk, orientado pelo português Luís Castro (SPTV1, 20h). O jogo decisivo está marcado para o próximo dia 21, em Colónia.