PSD e PS ainda não sabem se insistem na alteração à lei das petições

Socialistas argumentam que exigir mais assinaturas às petições para serem debatidas em plenário era uma forma de “assegurar capacidade de tramitação e resposta atempada” a todas.

André Ventura
Foto
Rui Rio rui gaudêncio

“Chumbada” em Belém a regra que aumentava de 4000 para 10.000 o número de assinaturas necessárias para que as petições sejam discutidas no plenário do Parlamento, os partidos que a aprovaram, ou seja, PS e PSD, ainda não sabem o que vão fazer quando o assunto for discutido de novo na Assembleia da República, no Outono.