Para manter o cabelo “perfeito”, Trump quer mudar lei dos chuveiros

O Departamento da Energia quer alterar a quantidade de água que pode ser usada em cada chuveiro, depois de o Presidente se ter queixado de falta de pressão da água.

Foto
Associações de conservação do ambiente criticam a proposta de aumento do caudal Reuters/TOM BRENNER

O Governo norte-americano propôs a alteração da definição do que é um chuveiro para que legalmente se possa aumentar a pressão da água, depois de Donald Trump se ter queixado de problemas na sua rotina no que toca ao cabelo.

“Os chuveiros, toma-se um duche e a água não sai. Queremos lavar as mãos e a água não sai. Então, o que fazemos? Simplesmente ficamos lá mais tempo? Porque o meu cabelo, não sei quanto ao vosso, mas tem de estar perfeito. Perfeito”, sublinhou o Presidente em Julho, citado pela BBC.

De acordo com uma lei de 1992, os chuveiros nos Estados Unidos não podem deixar correr mais de 9,5 litros de água por minuto. À medida que foram surgindo novos modelos com múltiplas saídas de água, a Administração de Obama definiu que as restrições se aplicam à quantidade total de água expelida. Já a Administração de Trump quer que esse limite se aplique a cada bocal e não ao dispositivo inteiro. Assim, actualmente num chuveiro com quatro bocais, cada um só pode deixar correr menos de 2,5 litros por minuto. Caso as alterações propostas avancem, o mesmo chuveiro com quatro bocais consumiria 38 litros de água por minuto.

As alterações foram propostas pelo Departamento de Energia na quarta-feira, depois das queixas de Trump. Para Andrew deLaski, director executivo do Appliance Standards Awareness Project, um grupo de defesa da poupança de energia, a proposta é “tola” e não é uma exigência dos consumidores em geral. Os grupos ambientalistas consideram que a alteração é desnecessária e levará a maior desperdício de água.

Segundo a base de dados do Departamento de Energia, dos quase 12.500 chuveiros avaliados, 74% utilizam menos de 7,5 litros de água por minuto, ou seja, menos de 20% do limite legal.

[Com mais quatro ou cinco bocais] poderíamos ter mais de 50 litros de água a jorrar de cada chuveiro por minuto, o que provavelmente nos empurraria para fora da casa de banho”, acrescenta DeLaski à agência Associated Press, citada pela BBC. E continua: “Se o Presidente precisa de ajuda para encontrar um bom duche, nós podemos indicar-lhe bons sites que ajudam a identificar bons chuveiros.” Para o director executivo do grupo, entre a pandemia, “a seca severa na costa oeste” e as alterações climáticas, “os chuveiros não são um dos maiores problemas” dos norte-americanos.

No mesmo sentido, David Friedman, vice-presidente na organização Consumer Reports, afirma que os chuveiros nos EUA já atingem “níveis altos de satisfação” entre os consumidores, enquanto lhes poupam dinheiro, relata a BBC.

A proposta poderá enfrentar disputas nos tribunais, caso avance, refere a Reuters.