Cinco Lounge: um cocktail no centro de Lisboa, outro em Monsanto

Em tempo de pandemia e restrições à vida nocturna, o Cinco Lounge reabre e troca as noites pelos dias no Príncipe Real, em Lisboa. E aos fins-de-semana aterra no parque de Monsanto com um festim de cocktails ao ar livre.

cocktails,agosto,monsanto,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Dave Palethorpe no Cinco Louge agora em versão diurna, que fez questão de nem tirar a máscara para a foto Daniel Rocha
cocktails,agosto,monsanto,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Daniel Rocha
cocktails,agosto,monsanto,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Daniel Rocha
cocktails,agosto,monsanto,bares,fugas,lisboa,
Fotogaleria
Daniel Rocha

Situado no Príncipe Real, Lisboa, num edifício que passaria despercebido não fosse este inquilino especial, está o Cinco Lounge, um bar acolhedor, que mantém um estilo clássico e retro e que em década e meia se tornou uma meca para os fãs dos cocktails. As cores escuras predominam, mesmo com a luz do dia a entrar pelas grandes janelas. O ambiente agora sossegado deixa antever que, quando a noite se põe e as luzes dos pequenos candeeiros se acendem, o espaço ganha outra vida e a vontade de partilhar uma conversa com amigos enquanto se saboreia um cocktail da autoria do proprietário, David Palethorpe, conquista quem ali se senta.

Este seria o cenário habitual pré-pandemia. Agora a história é outra. Com as restrições relativas ao horário de funcionamento de bares e discotecas, Dave (como é conhecido) teve de encontrar uma solução para este negócio em particular. Abre às 13h e fecha às 20h, com momentos Happy Hour, Pré-Clubbing e Night Cap ao longo das horas atípicas. Não é o cenário ideal, mas é uma forma de sobreviver, confessa, enquanto explica que terá, pela primeira vez desde que o Cinco abriu, alguns DJ a pôr música com transmissão em directo no Facebook. “Não custa nada e é uma forma de passarmos a palavra.”

PÚBLICO - Sherlock Tones
Sherlock Tones DR
PÚBLICO - Martini
Martini DR
PÚBLICO - Apple and Eve
Apple and Eve DR
Fotogaleria
DR

Quando chegou a Portugal, Dave percebeu que o gosto dos portugueses no que toca a cocktails é diferente do de outras paragens por onde já tinha passado. “Adaptei dez cocktails nas primeiras duas semanas de abertura e tornaram-se muito populares”, revela. Contudo, sempre que uma das bebidas se tornava demasiado conhecida entre os clientes, era retirada. Agora, ‘os discos mais pedidos’ do mundo dos cocktails, como o Lemonberry ou o Sherlock Tones, estão todos reunidos num menu durante o mês de Agosto e são preparados pelo próprio Dave. Os preços vão dos 5 euros aos 8 euros.

Mas, como todos nós, a pandemia também fez o Cinco ir à procura de mais natureza: o Cinco Woodland é agora o braço armado (de cocktails) no Parque do Monsanto (Greenhouse Hello Park, Serafina, sexta a domingo, 15h/20h). É um espaço mais familiar, com uma grande área exterior. Esta tem sido a bóia de salvação, uma vez que os bartenders do Lounge passaram para o Woodland. Dave não despediu ninguém: “Tenho conseguido manter todos os empregados, mas não devido à ajuda do Estado. Eles [o staff] são boas pessoas e compreendem o que se está a passar,” refere o proprietário, ressalvando que não culpa o Governo, mas que uma pequena ajuda seria bem-vinda. “Estamos todos a fazer o melhor que sabemos.”

PÚBLICO -
Foto
Greenhouse, no parque do Alto da Serafina, em Monsanto DR

Dave, que, além do seu bar, tem assinado as cartas de cocktails de muitos espaços pelo país, entre restaurantes e hotéis, sendo também formador na área, encara as dificuldades trazidas pela pandemia com um sorriso. Não se deixa “ir abaixo” e garante que só tem de “esperar que este ano passe”. E tem esperança que, depois de 16 anos a viver em Portugal e com tantos contactos feitos, quem o conhece apareça para estes primeiros dias de reabertura. “O pior é a primeira semana. Depois disso é que vamos ver.”

PÚBLICO -
Foto
Greenhouse, no parque do Alto da Serafina, em Monsanto DR
Sugerir correcção