EDP concretiza aumento de capital para comprar espanhola Viesgo

Eléctrica arrecada mil milhões de euros para prosseguir com a compra de activos renováveis e de distribuição em Espanha.

Foto
Miguel Stilwell acumula as funções de presidente executivo com as de administrador financeiro da EDP Sara Jesus Palma

A EDP anunciou esta sexta-feira que foi totalmente subscrito o aumento de capital de mil milhões de euros destinado a comprar os activos de renováveis e distribuição eléctrica da espanhola Viesgo.

O aumento de capital “compreendendo a emissão de 309.143.297 acções ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de 1,00 euro cada, ao preço de subscrição unitário de 3,30 euros” foi totalmente subscrito, “correspondendo a um encaixe financeiro de 1.020.172.800,10 euros”, anunciou a empresa, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A maior accionista da EDP, a China Three Gorges (CTG), investiu cerca de 220 milhões nesta operação para conservar os 21,47% que detém do capital.

Segundo a EDP, a maioria dos direitos de subscrição correspondentes às acções existentes foram exercidos. “No exercício de direitos de subscrição foram objecto de subscrição proporcional 289.872.956 novas acções, representativas de cerca de 93,8% do total de novas acções a emitir no âmbito da presente oferta, tendo ficado disponíveis para rateio 19.270.341 novas acções”.

Os pedidos de acções sujeitos a rateio totalizaram 501.535.122 acções, “excedendo cerca de 26 vezes a quantidade disponível para o efeito”, pelo que a procura total registada no aumento foi de 256% do montante da oferta, assinalou a empresa, que é neste momento liderada interinamente por Miguel Stilwell de Andrade, em substituição de António Mexia.

O encaixe será utilizado para comprar os 24 parques eólicos e duas centrais mini-hídricas da Viesgo, bem como 75% do seu negócio de distribuição de electricidade, em parceria com a actual proprietária da empresa espanhola, a Macquarie Infrastructure and Real Assets, que ficará com 25% da nova entidade que será criada para explorar este negócio de proveitos regulados.

Adicionalmente, a EDP compra duas centrais a carvão da Viesgo, na expectativa de que quando estas duas termoeléctricas forem desactivadas, em 2021, se mantenham os direitos aos pontos de ligação à rede eléctrica, que permitirão o desenvolvimento subsequente de projectos renováveis.

A operação está avaliada em cerca de 2,7 mil milhões de euros e inclui a assunção de mil milhões de euros de dívida da Viesgo.

A liquidação financeira das novas acções subscritas no exercício dos direitos de subscrição ocorre esta sexta-feira e a liquidação financeira das novas acções atribuídas em rateio deverá ocorrer na próxima terça-feira, dia 11 de Agosto.

A EDP, que teve o BCP como intermediário financeiro da operação, adianta que a admissão das novas acções à negociação na Euronext Lisboa deverá ocorrer “no dia 17 de Agosto de 2020 ou em data aproximada, após o registo comercial do aumento de capital junto da Conservatória do Registo Comercial”.