paulo-rocha,festival-locarno,trasosmontes,cinema,culturaipsilon,pedro-costa,
Mariana Viegas

Pedro e Vanda no quarto que mudou o cinema

Foi há vinte anos, no Verão de 2000, que No Quarto da Vanda foi visto publicamente pelas primeiras vezes. Nunca ninguém tinha visto uma coisa assim — era um filme novo, que abria um caminho que em 2000 ninguém podia saber aonde conduziria. 20 anos dentro do século XXI, tornou-se uma evidência: depois de No Quarto da Vanda, nada ficou igual.

Só as casas explicam que exista uma palavra como intimidade (Ruy Belo, “Oh as casas as casas as casas”).