cavalo-dinheiro,joao-benard-costa,festival-locarno,cinema,culturaipsilon,pedro-costa,
Mariana Viegas

20 anos no quarto da Vanda

Vanda, indomavelmente livre, dir-se-ia indirigível. Ou que podia passar sem o cinema. Acabou por ser o cinema a não poder passar sem ela, como hoje sabemos, 20 anos depois da estreia do filme de Pedro Costa no Festival de Locarno a 9 de Agosto de 2000.

Foi há vinte anos, no Verão do ano 2000, que No Quarto da Vanda foi visto publicamente pelas primeiras vezes. Era um filme para que ninguém estava preparado, nunca ninguém tinha visto uma coisa assim — era um filme novo, um filme que inaugurava, um filme que abria um caminho que em 2000 ninguém podia saber, com certeza, aonde conduziria. “O século XXI foi aberto com No Quarto da Vanda”, escreveu João Bénard da Costa numa altura em que dizê-lo ainda configurava um certo grau de aposta.