Torne-se perito Crítica

Ganhámos um belíssimo disco, perdemos uma obra-prima

Homegrown era um dos mais prezados álbuns perdidos de Neil Young. Preterido em 1975 por Tonight’s the Night, chega até nós 45 anos depois. Tempo para descobrirmos um óptimo disco no lugar da obra-prima prometida.

neil-young,bob-dylan,rolling-stones,critica,culturaipsilon,musica,
Foto
Um álbum de introspecções para guitarra e harmónica Ed Perlstein/Redferns/Getty Images

É o álbum perdido de Neil Young. Ou melhor, um dos álbuns perdidos de Neil Young, dado que o arquivo inesgotável do canadiano terá mais para revelar e muitos ainda aguardam, por exemplo, a edição oficial de Chrome Dreams, preterido em 1977 para que fosse editado American Stars N’ Bars. A história de Homegrown é a mesma — preparado para edição em 1975, acabaria por ser devolvido à prateleira para que Tonight’s the Night surgisse no seu lugar. A história de Homegrown é, na verdade, a história de todos os álbuns perdidos de todas as bandas. Por exemplo, Carnival of Light, a peça vanguardista de 14 minutos que os Beatles gravaram em 1967 e que continua escondida do olhar público, manterá para sempre o estatuto de uma das maiores preciosidades da história da música. Isto, claro está, até que a ouçamos por fim, quando passar a ser realidade e não mito.