A explosão "foi como um grande terramoto que atingiu Beirute"

As operações de resgate prosseguem em Beirute, depois da explosão desta terça-feira no porto da cidade, que causou pelo menos 135 mortos e mais de cinco mil feridos, segundo o último balanço do Governo libanês, divulgado pelas 17h (hora em Portugal continental). Na origem da tragédia julga-se estarem 2750 toneladas de nitrato de amónio, armazenados no porto da cidade há seis anos. 

À Reuters, Jamal Itani, presidente da Câmara de Beirute, disse que os prejuízos da explosão estarão na ordem dos milhares de milhões de dólares, e que vão ser necessários anos para que a economia e a cidade recuperem. O Governo libanês já decretou duas semanas de estado de emergência. 

Saiba mais aqui

Sugerir correcção