Há linces em Penamacor mas estes são fruto da imaginação humana

A exposição “O Lince sob Perspectiva” já está em exibição no Museu Municipal de Penamacor e é fruto da inspiração de 38 artistas de norte a sul do país nas áreas da escultura, pintura e artesanato.

Foto
DR

Aquele que é o felino mais ameaçado do mundo foi o mote de um concurso de criação artística que deu origem a várias peças de arte que se encontram agora em exposição no Museu Municipal de Penamacor. Este concelho em cujo território está parte da Reserva Natural da Serra da Malcata, que já foi o último reduto do lince ibérico no país, homenageia assim uma das espécies mais acarinhadas pelos portugueses e que neste momento já começa a estar em recuperação.

A exposição “O Lince sob Perspectiva”, que estará aberta ao público até ao dia 18 de Setembro e para a qual é necessária uma marcação prévia para que possa ser visitada, é fruto de um concurso organizado pelo Gabinete de Cultura do Município de Penamacor e que contou com cerca de 38 inscrições de norte a sul do país, nas áreas da escultura, pintura e artesanato.

Segundo uma nota de imprensa do município, “esta iniciativa tem como objectivos potenciar e desenvolver a criação artística, descobrir novos talentos​, manter presente na memória e na atenção dos cidadãos o lince ibérico e contribuir para manter e impulsionar o projecto da sua reintrodução no território.”

A Reserva Natural da Serra da Malcata, situada entre os concelhos de Penamacor e Sabugal, já foi o habitat natural do lince ibérico, tendo sido alvo de uma das primeiras campanhas ambientais com mais sucesso no país - a Salvemos o lince e a Serra da Malcata. Entretanto, o lince foi mesmo desaparecendo desta zona beirã, tendo sido criado em Silves, há 11 anos, o CNRLI - Centro Nacional de Reprodução, em Cativeiro, de Lince-Ibérico. As crias que aqui têm nascido estão a ser libertadas no Vale do Guadiana e a espécie começa a recuperar, tanto mais que, em Espanha, este repovoamento também está ter algum sucesso. Falta reintroduzir na Serra da Malcata, algo que não será para já pois tem de estar garantida a abundância da sua principal presa - o coelho-bravo.

Durante a inauguração da exposição, transmitida através do Facebook do Município, o presidente da Câmara Municipal de Penamacor, António Luís Beites Soares, ressalvou que esta iniciativa seria também o momento inaugural da Feira Terras do Lince que, devido à covid-19, este ano não se irá realizar nos mesmo moldes, “No entanto, aproveitando as novas tecnologias, quisemos proporcionar actividade cultural online nesta data para que todos os penamacorenses possam sentir que este será um fim-de-semana com muita cultura na vila tal como se habituaram”, disse o autarca, citado no comunicado.

“Esta exposição é alusiva à feira, mas também ao lince, que esperamos que no futuro possa regressar ao seu habitat natural que é a Reserva Natural da Serra da Malcata”, concluiu. Enquanto isso não acontece, foi de mãos humanas que saíram os animais que por estes dias estão em Penamacor.

Texto editado por Ana Fernandes