Dubai: Emirates volta a voar para Lisboa. Companhia tem “cobertura global gratuita para covid-19”

A companhia aérea com base no Dubai confirmou o retomar das ligações directas com Lisboa a partir de 16 de Agosto.

voos,dubai,aviacao,viagens,fugas,emirados-arabes-unidos,
Foto
Reuters

Depois da interrupção causada pela declaração da pandemia, a Emirates confirma o retomar das ligações entre o Dubai e Lisboa já em Agosto.

Segundo anunciou a empresa, que chegou a prever o reinício para o mês passado, os voos entre as duas cidades voltam a realizar-se a partir de 16 de Agosto e haverá ligações três vezes por semana em Boeing 777-300ER.

Já quanto ao retomar do directo Porto-Dubai, esta rota não foi ainda confirmada.

O anúncio foi feito ao mesmo tempo que foi confirmado o retomar das ligações entre o emirado e o Kuwait (no caso já a 5 de Agosto). 

Com os dois “novos” destinos, a Emirates passa a somar 70 rotas em Agosto, numa retoma gradual das operações normais pré-pandemia.

Os passageiros em trânsito pelo Dubai poderão entrar no emirado para passear ou compras ou estadias, já que a cidade reabriu aos visitantes internacionais a 7 de Julho. Mas os testes à covid-19 são obrigatórios para os passageiros que entram no Dubai ou estão em trânsito, “independentemente do país de origem”, sublinha a Emirates em comunicado.

Todos devem "apresentar um certificado de teste covid-19 negativo para serem aceites a bordo. O teste deve ser realizado num máximo de 96 horas antes da partida”, informam. O “processo exclui crianças menores de 12 anos e passageiros com incapacidade moderada a grave”. E, nota: “poderá ser necessário realizar outro teste PCR covid-19 à chegada”. Os detalhes estão aqui. É também obrigatório para todos o preenchimento de um “formulário de declaração sanitária” que deve ser entregue no check-in (ou pode ser preenchido no balcão).

A companhia foi pioneira a lançar um “seguro covid-19” para todos os passageiros, que abrange “custos médicos relacionados" caso “sejam diagnosticados” positivamente em viagem com a companhia fora do seu país. Inclui “custos de quarentena”. A “cobertura global gratuita para covid-19”, como é anunciada, está em vigor até 31 de Outubro. É a "primeira companhia aérea do mundo a fornecer cobertura gratuita para as despesas de saúde relacionadas com a COVID-19 e custos de quarentena”, sublinha-se. A cobertura é detalhada aqui

Sugerir correcção