Casillas abdicou em defesa do coração

Guarda-redes retirou-se no FC Porto dois anos antes do previsto, deixando um legado inestimável ao serviço do Real Madrid e da selecção de Espanha.

Foto
Casillas Reuters/MIGUEL VIDAL

Foi um ano e três meses depois da sua última grande defesa, quando travou, com os mesmos reflexos que lhe conferiram a aura de “santo”, um enfarte agudo do miocárdio, Iker Casillas assumiu o inevitável, colocando um ponto final em duas décadas de uma carreira incontornável no mundo do futebol. Num anúncio esperado, ainda que nas condições e termos do guarda-redes espanhol do FC Porto, Casillas decidiu que nesta terça-feira é o dia e hora do adeus definitivo às balizas, ainda que não ao futebol.