O “modelo de Génova” é uma porta aberta à corrupção?

Itália vê a reconstrução da ponte que caiu em 2018 como exemplo para a modernização do país. Mas há quem veja riscos de falta de controlo.

Foto
Giuseppe Conte numa das passagens por Génova durante a reconstrução da Ponte Morandi Massimo Pinca/Reuters (arquivo)

Em Abril, com a Itália mergulhada numa severa crise pandémica, o primeiro-ministro Giuseppe Conte visitou a reconstrução da antiga Ponte Morandi e espalhou elogios. Quis fazer desta obra um “exemplo” – até baptizou o projecto com um nome próprio, “o modelo de Génova”, uma inspiração para a recuperação no pós-pandemia.