Pelo menos 40 pessoas infectadas em cruzeiro na Noruega. Autoridades tentam contactar passageiros

Foi diagnosticada covid-19 em 36 membros da tripulação, quatro dos quais foram hospitalizados. Autoridades de saúde da cidade portuária de Tromso, na Noruega, tentam garantir que passageiros cumpram isolamento.

covid19,coronavirus,cruzeiros,fugas,noruega,
Foto
Quatro membros da tripulação foram hospitalizados na sexta-feira Reuters/NTB SCANPIX

Pelo menos 40 pessoas que estiveram num navio de cruzeiro norueguês, na maioria tripulantes, tiveram resultado positivo no teste à covid-19. As autoridades de saúde da Noruega anunciaram este domingo que estão a tentar contactar todos os passageiros de duas viagens recentes ao Árctico. Desde 17 de Julho, o navio realizou duas viagens, transportando um total de 387 passageiros.

Quatro membros da tripulação do MS Roald Amundsen foram hospitalizados na sexta-feira quando a embarcação chegou ao porto de Tromso e posteriormente diagnosticadas com a doença respiratória covid-19. Testes realizados à tripulação confirmaram mais 32 casos de infecção entre os 158 funcionários do navio. 

A tripulação manteve-se em quarentena no navio, mas os 178 passageiros que chegaram na sexta-feira foram autorizados a desembarcar sem serem feitos testes de diagnóstico, desencadeando agora uma complexa operação para localizar cada uma dessas pessoas para conter um potencial surto.

Até agora, quatro dos 387 passageiros que viajaram no cruzeiro nas duas viagens desde 17 de Julho foram diagnosticados com o vírus, de acordo com as autoridades de Tromso e o Instituto de Saúde Pública da Noruega (FHI, na sigla norueguesa). “Foram enviadas mensagens a todos os passageiros. Estamos a tentar verificar se a informação foi recebida e compreendida”, informou um porta-voz do FHT, em declarações à imprensa este domingo.

“É expectável que encontremos mais infecções relacionadas com este surto”, afirmou Line Vold, representante do FHI, que acrescenta que os passageiros foram aconselhados a ficar em isolamento.

A Hurtigruten, empresa proprietária do MS Roald Amundsen e outras 15 embarcações, foi a primeira empresa a retomar as viagens de cruzeiro, em Junho, depois de três meses de suspensão das actividades devido à pandemia de covid-19.

Sugerir correcção