Exposição

Marta conta histórias a partir da memória em Português Suave

A Livraria Centésima Página, em Braga, recebe a exposição Português Suave, da ilustradora Marta Nunes, até ao último fim-de-semana de Agosto. 

Fotogaleria

Esta é “uma colecção que surgiu a partir das imagens, paisagens baseadas em factos reais, sítios que existem”, conta a ilustradora Marta Nunes ao P3. Em exposição na Livraria Centésima Página, em Braga, até ao último fim-de-semana de Agosto, “Marta Nunes é a mensageira de um pensamento sobre o Português Suave”, expõe, por sua vez, o geógrafo Álvaro Domingues.

Não é a primeira vez que Marta recorre ao real, este é já o seu trabalho habitual. Através de dez desenhos, a ilustradora retrata lugares que existem, tornando-os mais “simples e minimalistas”. Marta não se senta nos lugares para os desenhar, desenha-os depois, “suavizando-os com a memória”. Há imagens que são alteradas, “contextualizadas com a figura humana e outros elementos”. “As fotografias ajudam”, clarifica a artista, “mas não há uma transposição directa, é um exercício de memória”.

“Este é o vocabulário mínimo dos desenhos a branco e negro onde a cor pontua o dourado da erva seca, as flores, a casa-abrigo, as riscas do farol, o sol”, resume Álvaro Domingues no texto da exposição. “O meu trabalho tenta contar uma história numa ilustração”, partilha a desenhadora. 

Marta Nunes
Marta Nunes
Marta Nunes
Marta Nunes
Marta Nunes
Marta Nunes
Sugerir correcção